sexta-feira, 23 de setembro de 2011

22 de SETEMBRO de 2011 - 5 anos da LEI MARIA DA PENHA

                   
                    É notório que a violência contra a mulher não é algo recente, muito pelo contrário, é algo que sempre esteve presente na sociedade. Uma sociedade capaz de alcançar grandens conquistas nas mais diversas áreas e ao mesmo tempo mostra-se incapaz de conviver em harmonia. A ausência desta harmonia acarreta, entre tantas coisas, a violência contra a mulher que na maioria dos casos é cometida pelos homens.
                   Uma violência que sempre esteve presente, mas oculta. Ofensas e agressões abafadas pelo silêncio da hipocrisia. Por séculos e mais séculos, a mulher enfrentou quieta os mais diversos preconceitos e obstáculos, seu papel era apenas ser uma dona de casa comprometida com o bem estar do marido e dos filhos. Inúmeros deveres, não possuindo direito algum. De alguma forma, carregava consigo a importância que ela possuía e que a qualquer momento iria externalizar para o mundo e isso foi iniciando no fim do século XIX nos EUA e na Inglaterra.
                  No Brasil, sem dúvida alguma o avanço significativo contra a violência à mulher aconteceu em 2006 com o advento da Lei Maria da Penha.
                  Ontem, dia 22 de setembro, fez 5 anos da Lei Maria da Penha e a pergunta que devemos fazer é: a violência contra a mulher diminuiu? A mulher pode se sentir protegida e amparada pela lei em questão? 
                  Para que ela tenha realmente eficácia, faz mister uma mudança de comportamento da sociedade que carrega em seu bojo o machismo e esta mudança inicia-se dentro de casa, ou seja, na forma de educar os filhos.  
                 O que esperar das futuras gerações? Quem viver verá!
                    

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

11° SEMANA MUNICIPAL DA PAZ EM LONDRINA


           Escutei na Rádio Rio de Janeiro (rádio espírita) o brilhante jornalista André Trigueiro comentar a respeito da 11ª semana municipal da paz em Londrina, mas o que diferencia este projeto é que há uma política eficaz visando combater os mais diversos tipos de violência. Compartilho da mesma idéia, se queremos combater a violência devemos abraçar o problema. De que forma? Participando ativamente dos problemas, procurando implantar projetos sociais. Vestir camisa branca e sair de mãos dadas clamando por paz em Copacabana é pura hipocrisia, este tipo de manifestação não tem resultado algum!
           Por falar nisso, conheci na cidade de Cascavel (PR) a Marisa, uma mulher extraordinária e que trabalha na Assistência Social na própria cidade e acho que devemos enaltecer não só a Marisa como tantos outros profissionais que desenvolvem um trabalho importante à frente dos mais diversos problemas sociais. 
           Está na hora da sociedade acordar, porque não é apenas um problema que envolve o profissional da Assistência Social, mas sim um problema que envolve todos nós e mais uma vez passa pela educação. A educação é o alicerce visando uma sociedade mais justa, mais humana. Há muito que se fazer, afinal vivemos numa sociedade em que muitos são individualistas, consumistas ao extremo, ingratos, hipócritas. Contudo vendo a Marisa entre tantos outros trabalhando por um mundo melhor, nos motiva a caminhar firme acreditando que um dia veremos uma sociedade galgada pelo amor! Quem viver verá!